Braga: mulheres em luta contra a violência doméstica, hoje às 18h30, na Avenida Central

O núcleo da União Mulheres Alternativa e Resposta de Braga (UMAR) vai estar hoje às 18h30, na avenida Central em Braga, numa iniciativa contra a violência doméstica: “Nem mais uma”.

Segundo esta organização e através de dados do Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA) da UMAR, no distrito de Braga morreram, desde o 2004 até ao dia 15 de novembro, deste ano 594 mulheres vítimas de violência doméstica.

Este ano, no distrito de Braga, verificou-se 1 assassinato, 2 tentativas de femicídio e 2 tentativas de assassinato.

O dia 25 de novembro é o “Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres” e a ação de rua consiste na colocação de uma faixa preta nos edifícios, janelas ou varandas e na partilha através das redes sociais de um cartaz preto ao longo da semana.

Todos os anos, o Observatório das Mulheres Assassinadas publica um relatório com dados extraídos das notícias publicadas na imprensa nacional. Este relatório divulga o número de mulheres assassinadas intencionalmente em Portugal, os seus nomes, as suas idades, os locais dos homicídios, a arma utilizada, assim como o contexto em que o crime foi praticado e a relação da vítima com o agressor.

Dados preliminares sobre as Mulheres Assassinadas em Portugal – OMA

Entre dia 1 de janeiro e 15 de novembro de 2021, o Observatório das Mulheres Assassinadas registou 23 assassinatos de mulheres, dos quais 13 femicídios e 36 tentativas de femicídio em relações de intimidade, sete assassinatos em contexto de relações familiares e três assassinatos noutros contextos.

De destacar ainda que também os órfãos de 14 mulheres vítimas de femicídio nas relações de intimidade ou de assassinato em quatro dos casos, pelo menos, são menores de idade.

Notícias relacionadas