Europa ultrapassa os 1.5 milhões de mortes por Covid-19

A Europa ultrapassou, esta quinta-feira de manhã, os 1.5 milhões de mortes associadas à Covid-19, num momento em que são vários os países do continente a repor as restrições para tentar travar o número de infeções.

Os dados são da Agência France-Presse (AFP) com base em 52 países e territórios desde a costa atlântica até ao Azerbaijão e a Rússia, desde que foi registado no continente o primeiro óbito, em fevereiro de 2020.

Esta contagem leva em consideração os mortos registados pelas autoridades sanitárias de cada país mas, segundo a AFP, representa apenas uma parte dos óbitos efetivamente associados ao novo coronavírus. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, considerando o excesso de mortalidade direta e indiretamente vinculado à Covid-19, o número de vítimas da pandemia pode ser duas a três vezes maior do que o registado oficialmente.

Atualmente, a Rússia é o país com números mais altos, registando cerca de 30% das mortes diárias no continente europeu (1.246 mortes/dia). Quanto ao total do número de mortes, a agência nacional de estatísticas russa Rosstat, afirma que podem ter chegado aos 450 mil no final de Setembro.

O Reino Unido e a Itália são os países, a seguir à Rússia, com mais mortes: 144.286 e 133.415, respetivamente.

No início deste mês, e para combater a pandemia, a OMS apelou à continuidade da vacinação, ao uso de máscaras e à prática de medidas de distanciamento social.

A organização teme mais 700.000 mortes na região até a primavera.

Notícias relacionadas