Homenagem a Luís Fernandes Gomes – o mais longevo autarca em 50 anos de democracia

No 50.º aniversário do 25 de Abril de 1974, vai ser homenageado, a título póstumo, em Vilarchão, Vieira do Minho, Luís Fernandes Gomes (1935-2021), que presidiu à Junta de Freguesia local durante 39 anos, de 1974 a 2013.

Autarca da freguesia de Vilarchão desde a instalação das comissões administrativas no início do processo democrático, foi depois eleito em sucessivos mandatos, de 1974 a 2009, como presidente da Junta da Freguesia de Vilarchão, tendo cumprido o último dos seus mandatos como eleito na Assembleia de freguesia na União de freguesias Anjos/Vilarchão.

A homenagem a Luís Fernandes Gomes iniciar-se-á às 16H30 do dia 25 de Abril, junto à casa onde viveu, em Vilarchão.

As suas qualidades humanas, trabalho e capacidade de diálogo, fizeram Luís Gomes um autarca respeitado por todos os seus pares. Segundo a nota da Comissão Organizadora: “Tendo participado ativamente em cerca de duzentas sessões da Assembleia Municipal de Vieira do Minho, desde a inaugural, em 1976, até praticamente ao ano da morte, em 2021, é especialmente recordada uma intervenção que fez num momento quente de debate interpartidário e que permaneceu como uma espécie de mensagem ou de testamento político: «Meus amigos: em democracia não há inimigos, apenas adversários. Temos posições e visões diferentes, mas lutamos todos pelo mesmo fim: o bem comum dos vieirenses». – É, aliás, esta a epígrafe escolhida para figurar no memorial que vai ser inaugurado à porta da casa onde viveu na tarde do dia 25 de Abril, que confessou ter sido o dia mais feliz da sua vida.

A Comissão organizadora da homenagem é composta por José Marques Fernandes, Pedro Pires, Vânia Cruz, Filipe de Oliveira, Hernâni Gouveia e Manuel Vieira Gomes.

Breve biografia de Luís Fernandes Gomes (1935-2021):

Em comunicado, a Comissão explica que, por força da lei da Agregação de Freguesias e da entrada em vigor da lei de limitação de mandatos, “em 2013 deixou de poder candidatar-se para novo mandato, mas não deixou de participar na vida e atividade autárquica, assumindo, com notável e reconhecida exemplaridade, o lugar de representante do seu Partido na Assembleia da União de Freguesias de Anjos e Vilar Chão (2013-2021)“.

Na sequência do 25 de Abril, depois cumpridos dois anos como Presidente indigitado da Comissão Administrativa (1974-1976) e depois de um mandato por Eleição em Plenário de Cidadãos Eleitores (1977-1979), exerceu um mandato como eleito na Lista da APU – Aliança Povo Unido (1979-1982), três mandatos como independente, em Lista DIV-Democratas Independentes de Vilar Chão (1982-1993) e cinco mandatos em Lista do Partido Socialista (1993-2013).

Teve uma longa e variada vida e atividade política autárquica, a mais longa e variada de um autarca de Vieira do Minho. Fazia questão de dizer que tinha apenas a terceira classe, mas que sabia ler nas entrelinhas das narrativas e das movimentações que tecem a atividade política.

Participou ativamente em cerca de duzentas sessões da Assembleia Municipal de Vieira do Minho, desde a inaugural, em 1976, até praticamente ao ano da morte, em 2021.

Related Posts