Parada de Bouro – Ponte do Bôco vai ser requalificada

Os Municípios de Vieira do Minho e Amares firmaram no dia 5 de julho, o Protocolo para a reabilitação e requalificação da Ponte do Bôco.

A assinatura do Protocolo de Colaboração Intermunicipal juntou António Cardoso e Manuel Moreira, numa cerimónia que decorreu, na Câmara Municipal de Vieira do Minho.

 

A Ponte do Bôco assume extrema importância para ambos os concelhos, uma vez que faz a ligação entre as freguesias de Parada de Bouro, em Vieira do Minho, e de Santa Maria de Bouro, em Amares.

 

Refira-se que se trata de uma infraestrutura que está encerrada ao trânsito há mais de um ano devido a questões de segurança, decorrente da sua degradação estrutural.

A intervenção prevista visa a reabilitação estrutural desta ponte, possibilitando que a mesma, após intervenção, permita a circulação sem qualquer tipo de restrição de peso.

 

Após a assinatura do presente protocolo de colaboração, a obra será lançada a concurso sendo o preço base do contrato de empreitada de 424.970,00 euros.

 

A Ponte do Bôco, situa-se sobre o Rio Cávado, localiza-se no lugar de Aldeia, na freguesia de Parada de Bouro. Foi construída em 1908 e é a primeira ponte a ser erguida em betão armado no Distrito de Braga.

De um só arco e com 33 metros de cumprimentos, é considerada uma das mais antigas pontes de betão armado em utilização no nosso país, e uma das mais velhas da Europa. Foi projetada pelo Arquiteto M. Sebastião Lopes e construída pela empresa dos engenheiros construtores Moreira de Sá & Malevez, concessionários em Portugal do sistema patenteado Hennebique de 1882.