Partido Socialista – Parque Eólico – “Esclarecimento dos factos em abono da verdade”

O PS de Vieira do Minho em nota de imprensa enviada à nossa redação refere que “O Presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho levou a vereação a pronunciar-se, na Reunião da Câmara do dia 21 de Abril, sobre um despacho que dava parecer favorável à localização de um Parque Eólico à EDP Renováveis. Segundo os documentos que apresentou de suporte, este localizava-se em Espindo, União das Freguesias de Ruivães e Campos, e tinha uma linha de alta tensão de 60kV a passar próximo à aldeia de Campos, em direcção a Vila Nova.

 

Se, por um lado, o traçado previsto contrariava tudo o que defendemos quinze dias antes, isto em termos de impacto das linhas de energia, por outro lado, consultamos a população de Espindo e fomos informados que não tinha sido consultada sobre o assunto.

 

Com base nestes dois pressupostos e nos documentos apresentados, decidimos votar contra a ratificação da decisão tomada pelo Presidente da Câmara, dado que não tinha sido ouvida a população e o traçado da linha de forma alguma poderia ser o proposto. Note-se que, este parecer mereceu também a reprovação de um Vereador da Coligação.

 

Constatámos, entretanto, que o Presidente da Câmara sonegou informação relevante sobre o assunto.  Desde logo porque a localização identificada no documento não era a correcta, nem envolve sequer Espindo e, também, porque a linha de Alta Tensão de 60kV que foi proposta era sem carácter vinculativo. Aliás, sabemos, agora, que eram do seu conhecimento os contratos já celebrados com as Comissões Directivas de Baldios de Anjos, Agra/Barreiros e Campos, que é onde realmente se situa o parque. Acresce aos factos que, como disse o presidente da Câmara, tratou-se de um mero formalismo de parecer prévio que nem carecia de ir à Reunião de Câmara.

 

Apenas podemos entender isto como uma manobra, que nos dispensamos de classificar, para criar um facto político e criar agitação. A verdade é como o azeite: vem sempre ao de cima. Se alguém faltou à verdade, quer por erro ou por omissão de informação que agora veio a público, não foi seguramente o Partido Socialista. Ninguém pode negar a evidência do parecer técnico que refere o Parque Eólico em Espindo.

 

Em momento algum da deliberação se votou contra qualquer Parque Eólico. Votou-se, isso sim, contra a decisão unilateral do Presidente da Câmara de validar a localização de um Parque Eólico em Espindo, que afinal não é em Espindo mas em Anjos, Agra, Barreiros e Campos e votou-se, também, contra o traçado da linha de Alta Tensão proposto no documento.

 

Vieira do Minho está farta destes malabarismos recorrentes de quem julga tudo poder fazer, não olhando a meios e escamoteando informações dos processos, visando tão só deturpar os factos e intoxicar a opinião dos Vieirenses.

 

É tempo de falar com clareza, verdade e transparência. É tempo de parar com os insultos verberados pelos mais diversos meios de comunicação e sem direito a contraditório. No PS, nunca iremos por aí.

 

Finalmente, e para que fique claro, o PS congratula-se com a proposta deste Parque Eólico que, indiscutivelmente, trará mais valias para o concelho. Desde logo pelas rendas a favor das Comissões Directivas de Baldios (no valor de 15.000€/ano por cada um dos oito aerogeradores instalados) e 2,5% da factura da venda da energia eléctrica produzida a favor do Município. Contribuirá, ainda, para os objectivos de neutralidade carbónica que o nosso país tem de cumprir a curto prazo. Quanto à implantação da linha de Alta Tensão sabemos, também agora, que o traçado proposto não é vinculativo e trabalharemos, com o envolvimento de todos, na solução mais adequada.” Referem os Socialistas de Vieira do Minho.