Talento famalicense domina competição do Ymotion em noite de homenagem a Soraia Chaves

Liliana Pinho, Maria Moreira, Alexandra Guimarães e Gonçalo L. Almeida, quatro jovens cineastas famalicenses, fizeram história na 8.ª edição do Ymotion – Festival de Cinema Jovem de Famalicão ao arrecadarem, respetivamente, os prémios ‘Escolas Secundárias’, ‘Prémio do Público’ e ‘Melhor Documentário’. A sessão de encerramento desta edição do festival aconteceu no passado sábado, 26 de novembro, no Centro de Estudos Camilianos, em Seide, e também fica marcada pela homenagem à atriz portuguesa, Soraia Chaves.

‘2020: Odisseia no 3º Esquerdo’ (2021), curta-metragem realizada por Ricardo Leite, foi a grande vencedora do Grande Prémio Joaquim de Almeida, tendo o cineasta recebido esta distinção máxima do festival pelas mãos do próprio patrono do prémio, o ator Joaquim de Almeida. 

Já o filme ‘Encoberto’ (2022), realizado por Rodrigo Rebello de Andrade, arrecadou dois prémios de entre as oito categorias a concurso, entre eles, ‘Melhor Argumento’ e ‘Melhor Interpretação’, atribuído ao todo o elenco do filme, composto por atores como Pedro Lacerda, Rafael Morais e Rafael Gomes.

Tal como referido, o prémio ‘Melhor Documentário’ foi entregue à dupla famalicense, Alexandra Guimarães e Gonçalo L. Almeida, pela obra ‘Cristóbal – Pontebarxas’ (2022), já o ‘Escolas Secundárias’ foi atribuído à curta ‘Assédio’ (2022), de Liliana Pinho, aluna da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, de Vila Nova de Famalicão.

O prémio ‘Melhor Animação’ foi para o filme ‘Comezainas’ (2022), realizado por Mafalda Salgueiro, e o de ‘Melhor Direção de Fotografia’ foi para António Pinheiro, pelo trabalho na curta-metragem ‘Misericórdia’ (2021).

Para além destes prémios, foram ainda entregues ‘Menções Honrosas’ a ‘Cemitério Vermelho’ (2022), de Francisco Lacerda, ‘Kafka’ (2021), de Tiago Iúri e ‘Sónia’ (2022), da realizadora famalicense Maria Moreira, curta-metragem que também arrecadou o ‘Prémio do Público’.

O júri da competição, liderado pelo argumentista Tiago R. Santos era composto por Paulo Trancoso, presidente da Academia Portuguesa de Cinema, Cláudia Clemente, Paulo Pires, Fernando Vasquez, Lúcia Pires e Bruno Carnide.

A grande homenageada desta edição do festival foi Soraia Chaves, que não escondeu a sua emoção pelo reconhecimento. “Já trabalho há alguns anos neste ramo (cinema), e nunca tinha sido homenageada assim desta forma, portanto estou bastante comovida (…) muito obrigada, fico realmente feliz”, referiu a atriz, de sorriso rasgado, “parabéns ao Ymotion (…) (por) incentivar aquilo que nos une nesta sala, que é o amor pelo cinema”. A atriz também deixou uma palavra de incentivo aos jovens cineastas presentes na sala, para que não desistam de fazer cinema. “Estamos juntos nesse amor e nessa luta”.

“Durante estes anos, o Ymotion conseguiu ser um barómetro de novos olhares e o sucesso desta edição faz-nos acreditar que é prioridade do Município (de Famalicão) continuar a dar este incentivo às escolas e aos jovens cineastas”, referiu a vereadora da Juventude da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Luísa Azevedo. As sessões esgotadas de projeção das curtas-metragens, bem como o “crescente aumento da qualidade das obras” em competição, para a vereadora, “são provas que continuamos no caminho certo”, destacando que não é por acaso que “Famalicão que já é conhecido como a capital do cinema jovem português”.

A sessão que marcou o encerramento da 8.ª edição do Ymotion, também contou com uma atuação do músico e cineasta, David Fonseca, e com a presença da atriz Beatriz Godinho e do músico, e também cineasta, Tiago Bettencourt.

Notícias relacionadas